quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O Medo de Virgília - Rosa Mattos


Sinopse: Cercada por pessoas desajustadas (psicopatas, neuróticas, depressivas, insanas, obsessivas, fóbicas e inescrupulosas), Virgília luta para manter sua sanidade mental. 
Dividida entre cuidar da própria vida e ajudar seus familiares que precisam dela financeiramente, muda-se de Cristal (pequena cidade gaúcha) e vai morar sozinha em Porto Alegre, num apartamento herdado pela mãe. Assim, poderá ficar mais perto de Marília, sua irmã mais nova, internada numa clínica depois de tentar matá-la, após sofrer um surto psicótico. 
Virgília começa a trabalhar como gerente de uma joalheria. Lá, ela conhece Alex, o entregador de joias e os dois se apaixonam. Em pouco tempo, serão envolvidos por um laço de amor que os manterá unidos, contra todas as adversidades. 
Além de ser um homem apaixonante, Alex possui um dom incomum, que o torna capaz de tirar vidas, ou salvá-las. E este seu dom, terá um papel importante para os rumos desta história. 
Uma trama onde o grande mistério é descobrir como Virgília conseguirá lidar com tantas situações difíceis que a cercam, sem enlouquecer.

Sentada em uma cadeira de um salão de manicure eu peguei aquele livro de capa bonita, chamativa e .... não tenho o costume de ler a sinopse antes de ler o livro, acho que assim me envolvo mais com o que está, não fico esperando a história acontecer e com esse livro não foi diferente, logo que o tirei da bolsa comecei a ler.

O livro é como um diário, em primeira pessoa e contam a história dos primeiros dias de trabalho de Virgília em uma Joalheria. Intercalando com as palavras da protagonista, os outros capítulos contam um resumo da vida dos personagens secundários mas não menos importantes.

Segundo capítulo, pausa na leitura, vou fazer as mãos, não posso borrar. *risos

Voltando...

Durante 20 capítulos conhecemos vários personagens, cada um com seus problemas:

Celina (ciumes e possessão) - reconheci várias pessoas no papel de Celina, pessoa que muda a vida em função de uma paixão e perde a cabeça por isso.

Emiliano (medo excessivo) - nunca conheci ninguém assim, deve ser muito ruim você viver a neurose do medo, o pânico em todos os momentos.

Dora (baixa auto estima) - me identifiquei muito com a personagem, em alguns momentos parecia se tratar de mim, a entendi, pensei por horas sobre a história dela, li mais de 3 vezes o capítulo, chorei, não quero chegar ao fundo do poço em que ela chegou, isso me fez abrir os olhos.

Tá, eu sei que se trata de um personagem de livro, mas e daí, se identificamos com os problemas de um personagem e vemos no que ele está errando e pensamos que pode ser o nosso erro também... porque não procurar arrumar tudo?

Alex (fome de vingança) - Esse personagem é apaixonante, pela descrição parece bem bonito, cativante mas com um dom que depois de uma ida a uma igreja o fez repensar a maneira de lidar com o que possuía.

Anne (psicopatia) - menina mimada que tinha tudo mas a vontade de fazer o mal prevaleceu.

Marilia (esquizofrenia) - irmã de Virgília, é um pouco diferente, frágil, enlouquece devido a um problema com a protagonista.

Alan (psicopatia) - medo, resumo do meu sentimento por esse personagem, afemaria!

Jessica (baixa auto estima, compulsão por organização) - menina bobinha que nutria uma paixão por um coleguinha da escola e depois de ser rejeitada pirou, ao ponto de só pensar em vingança.

Há um capítulo que conhecemos Ulisses, um inspetor da polícia que investiga um crime ocorrido na história mas ele não é bem problemático, como os outros acima citados.

Até o capitulo em que se fala de Marília eu estava entendendo o porque de cada personagem na história, mas aí veio a história de Alan e Jessica. Fiquei perdida, mas logo me encontrei e descobri a importância deles no livro.

Sabe, é um ponto que gosto muito da Rosa Mattos, a autora, ela leva a história com tanta leveza, mesmo que você ache que não tem muito haver aquele momento e quando você acaba de ler... tudo está relacionado.

O medo de Virgília é o segundo romance de Rosa Mattos, autora também de Paredes Vivas, o primeiro livro adulto que resenhei, o que me abriu a cabeça para o mundo literário, agradeço muito Rosa por isso, indiretamente ela me ajudou (havia ganhado o livro em um sorteio no blog da amiga Danielle Casquet).

Amei a forma da autora escrever, nos envolvemos na história, sentimos o medo e as felicidades de Virgília. Os capítulos intercalados deixa a leitura leve. os detalhes te transporta para o momento em que é contada, se fechamos os olhos nos vemos dentro do apartamento de Virgília ou no shopping onde a Joalheria se encontra.

Rosa, preciso da continuação desse livro, senão vou surtar...

Espetáculo! Super recomendo, para você que está muito afim de saber mais de pessoas reais, que podem estar do seu lado, ou até mesmo ser você...

3 comentários:

  1. Que resenha completa! Adorei <3 eu tenho Paredes Vivas, só não li ainda! Vou aproveitar e conferir, esse livro parece muito interessante, gostei da ideia. Se eu curtir Paredes Vivas e a narrativa da Rosa Mattos, já vou atrás desse também =3 Fiquei até curiosa, gosto de conhecer pessoas "reais" nas leituras =3
    um forte abraço!
    [Resenha dupla #04] Persépolis – Marjane Satrani

    ResponderExcluir
  2. Oi!

    Sempre que posso, também procuro começar a ler um livro sem ler a sinopse nem nada, pois creio que a leitura fica mais... mágica.

    Nossa eu gostou muito de livros com pessoas, cenas, histórias reais. Gosto de uma boa fantasia, não vou negar, mas também amo uma história simples, de gente como a gente.

    Esse livro tem um bom custo-benefício: um livro, várias histórias. Gostei. Vou marcá-lo como desejado no Skoob.

    Beijos,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir
  3. Oi!

    Eu adorei a resenha. Não conhecia esse livro nem a autora e é assim que gosto de resenhas. Com a emoção e a visão de quem leu.

    Vou procurar saber mais sobre essa autora e esse livro já entrará na minha lista de leitura.

    Parabéns, Dani!!!

    Bjs

    www.cladassombras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir