segunda-feira, 14 de abril de 2014

[Arca Literária - Selo Jovem] - Místico Sagrado




Sinopse: O Bem e o Mal estão em todo lugar. Nós somos Yin-yang, bom e mau. E isso nos acompanha por onde andamos. A vida é feita de dualidade, bonito e feio, rico e pobre, luz e sombra, vida e morte. Temos o livre-arbítrio de deixar fluir aquilo que nos for mais sedutor, mais conveniente, mais atrativo... Melanie tem a missão de salvar sua vida do modo que ela apesar de saber muito bem como se faz, deixa a desejar. Para isso, terá que infiltrar-se na Casa Branca Hospedagem, um lar requintado que esconde tenebrosos segredos e nada é aquilo que parece ser. A dualidade em pessoa mora ali e a nova hóspede terá que aprender a se defender se quiser sair viva.

Quando eu li a sinopse eu fiquei intrigada com a possibilidade de ler um livro que falasse no Bem e no Mal, qual seria a abordagem do autor, como ele colocaria essas forças no livro?!?!?!

O livro começa muito emocionante. Um ritual macabro com direito a sacrifício de uma criança, recém-nascida, oferecida pelos pais ao Deus pagão Molok.

Um corte temporal logo na terceira página nos transporta para Belo Horizonte, mais precisamente no bairro da Pampulha, local de casas lindas. Neste ambiente lindo de casas imponentes e antigas se encontra a Casa Branca Hospedagens.

Ao ler o livro percebi que é preciso bastante atenção, pois o autor, em muitas vezes, não coloca os nomes dos personagens, colocando “a menina, a moça, a hospedeira, o rapaz” em alguns pontos, assim em alguns momentos me perdi, tendo que voltar a leitura no parágrafo anterior para saber de quem ou quem estava falando.

Nesta hospedaria conhecemos muitas pessoas com personalidades diferentes: os proprietários Aparecida e Josaphar, este com um problema físico depois de um acidente na lua de mel do casal e psicológico, pois acredita ser “assombrado” por forças obscuras.

Renato e Bianca, pai e filha, hospedes que a princípio nos passa por simples moradores do local, mas que ao longo do livro somos surpreendidos pelo papel fundamental de ambos.

Simone, uma mulher com trejeitos masculinizados, que também parece uma mulher sem importância que me surpreendeu ser uma das mais importantes, sendo o “Bem” que luta contra o “Mal” da história.

Chica é uma personagem espetacular, lembra muito minha avó, pessoa bondosa, mineirinha, de fala mansa e baixinha, junto com Adriano, outro funcionário, dão o ar comédia para o livro que tem em sua maioria um ar policial/mistério.

Outros personagens surgem no livro em determinados momentos para dar uma coerência a história. Isso não os torna menos importantes. 

Melanie, a personagem principal do livro. Mulher misteriosa, ela chega a hospedaria a principio sem muito levantar suspeitas, mas aos poucos vamos vendo que ela é uma espiã, uma integrante de uma organização que pretende roubar uma relíquia, o Olho Místico.

Nossa! Fiquei completamente vidrada na personagem.

Em alguns momentos eu senti raiva dela, mas na maioria das vezes eu torci para que ela se desse bem, pelo menos que saísse viva de toda a história.

A corrida da personagem principal, sufocada pelos chefes da organização, para roubar o Olho Místico, é maravilhoso. Eu cheguei a ficar sem ar em certos momentos. 

Pessoas que você menos espera são malvadas e outras que você pensa que tem o mal no coração são boazinhas. ESPETÁCULO!

O final é surpreendente, aliás, tem mesmo um final? 

O autor me deixou muito intrigada, a ultima palavra do livro é juntamente “Fim?” deixando a gente com muita curiosidade, desesperados pela continuação.

Super recomendo para você que como eu adora uma história com muito mistério, perseguição policial e tudo que vem com isso.

4 comentários:

  1. Muito obrigado, Dani, pela resenha lúcida e imparcial. É desse tipo de críticos, como você, que eu gosto. Não puxa o saco, mas, é sincera sem sarcasmos desnecessários. Aliás, só para saber, este é o primeiro livro de uma série literária, a saga O Místico Sagrado. Alguns me perguntam, se realmente a Melanie morreu... Isso, nem eu ainda sei... Veremos. Mias uma vez, muito obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Gostei muito da premissa da história, pois justamente, gosto muito de mistério e tramas policiais. Pela sua resenha o livro parece ter um ótimo ritmo e personagens muito interessantes. Gostei da resenha.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olha, Dani, essa história de tudo começar com um ritual macabro acabou me espantando... rs... Mas isso da gente se enganar com as personagens é uma coisa que eu gosto muito de encontrar em um livro, hehe, de repente me animo a ler.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  4. Oiee!
    Gostei da premissa do livro, principalmente porque tem mistério e esse lado mais policial, já que gosto de temas assim. A parte do sacrifício me deixou triste, porém fiquei interessada no livro. Parabéns pela resenha.

    Beijos,
    Jéssica
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir